Author Archives: Editor

  • 0

TOCAR NESSE ASSUNTO É O MELHOR CAMINHO PARA A PREVENÇÃO

Category : Informativo

O câncer de próstata é o câncer mais frequente no sexo masculino, ficando atrás apenas do câncer de pele não menaloma. Estatísticas apontam que a cada seis homens, um é portador da doença.

O intuito é de conscientizar a população masculina sobre a doença, visando diminuir a taxa de mortalidade que ainda é alta. O objetivo é combater a doença e, principalmente, motivar a população masculina a fazer exames preventivos.

“Depois do aparecimento dos sintomas, mais de 95% dos casos de câncer de próstata já se encontram em fase avançada. Por isso, é importante o exame regular através do toque retal e do PSA periodicamente”

Se recomenda que homens a partir de 50 anos procurem seu urologista para discutir a prática e a realização da avaliação. Aqueles com maior risco da doença (história familiar, raça negra) devem procurar o urologista a partir dos 45 anos. Os exames consistem na dosagem sérica do PSA e no exame digital retal, com periodicidade anual.

Esta prática está relacionada à diminuição de cerca de 21% na mortalidade pela doença em estudos de grande porte e longo seguimento.

Por que não só fazer o exame de sangue?

Porque cerca de 10 a 20% dos casos não são detectados pela dosagem de PSA no sangue. O exame de toque e o PSA são complementares.

Quais são os fatores de risco para o câncer de próstata?

Idade (cerca de 62% dos casos são de homens a partir dos 65 anos)
Histórico familiar
Raça (maior incidência entre os negros)
Alimentação inadequada, à base de gordura animal e deficiente em frutas, verduras, legumes e grãos
Sedentarismo
Obesidade

Quais são os sintomas?

Na fase inicial, quando as chances de cura são maiores, não há qualquer sintoma. Por isso a importância dos exames. Na fase avançada, quando a cura é mais difícil, o paciente pode sentir: vontade de urinar com urgência, dificuldade para urinar e levantar várias vezes à noite para ir ao banheiro, dor óssea, queda do estado geral, insuficiência renal, dores fortes.


  • 0

Gordura saudável reduz risco de câncer de próstata

Category : Informativo

Gordura saudável reduz risco de câncer de próstata

Homens com diagnóstico de câncer de próstata que substituem a gordura animal por uma dieta com gordura vegetal diminuem o risco de propagação da doença e tem mais chances de sobreviver. Ainda podemos afirmar que homens que realizaram essa troca tiveram o risco de óbito reduzido por qualquer outra causa em até nove anos.

O estudo foi feito com  homens diagnosticados com câncer de próstata, que foram acompanhados, em média, durante oito anos. A cada quatro anos os participantes respondiam um questionário sobre seus hábitos alimentares.

Com isso, a conclusão dos pesquisadores foi que os homens que substituíram 10% das calorias que consumiam diariamente vindas de gordura animal e carboidratos por gorduras saudáveis, apresentaram um risco 29% menor de óbito em consequência da propagação do câncer de próstata. Esses pacientes também tiveram 26% menos chances de óbito por outro motivo em comparação com aqueles que não fizeram essa troca.

“Essa troca não beneficia somente quem tem câncer de próstata, pode ser feita por pessoas com outros tipos de câncer, doenças cardiovasculares e problemas de circulação e memória. A gordura vegetal contribui também na circulação, diminuindo vasinhos e varizes, aterosclerose, infarto e AVC e ajuda na melhora da memória”.

Aqui temos algumas dicas de como substituir aos poucos alguns hábitos alimentares e melhorar sua saúde: “Temperar a salada com azeite extravirgem, fazer os alimentos assados ou cozidos e incluir linhaça dourada triturada em frutas, iogurtes ou no próprio feijão, são algumas formas de começar a substituição de forma saudável”. O principal fato a ser aproveitado é que o consumo de gorduras saudáveis pode ter um efeito protetor nos homens. Ainda se tem uma questão de que ser obeso influencia no risco de morte por câncer de próstata.

Dieta tem que ser feita de forma saudável

Apesar dos benefícios, toda mudança alimentar deve ser feita com cuidado, pois pode causar prejuízos à saúde se realizada de forma exagerada. “As gorduras animais são fontes de nutrientes importantes, como vitaminas lipossolúveis e colesterol. A troca da gordura animal para a vegetal é benéfica desde que seja equilibrada, de acordo com o perfil de cada um”.

“A melhor forma para fazer esta substituição é procurar um nutricionista, que fará as adequações alimentares necessárias. De uma forma geral, o uso regular de óleos vegetais para cozinhar associado à troca das carnes com gordura aparente por carnes sem gordura já é um ótimo primeiro passo”.


  • 0

Novembro Azul

Category : Informativo

Chegar aos 40 anos com saúde já não é mais um problema para a maioria das pessoas, mas uma coisa é certa: os cuidados devem se intensificar a partir dessa idade.

A partir dos 40 anos, os homens precisam fazer exames anuais capazes de identificar precocemente o câncer de próstata, segunda principal causa de morte entre o público masculino. O câncer de próstata pode ser contido com exames periódicos, assim como outras doenças relacionadas.

O Novembro Azul é lembrado como o mês de prevenção do câncer de próstata, mas devemos falar também de outros problemas que ninguém fala, como impotência sexual, incontinência urinária, câncer de pênis, e outras doenças que são vistas como tabu entre o sexo masculino.

Ter o PSA alterado não significa câncer, assim como não apresentar alterações não signifique ausência de doenças. Por isso, o ideal é que pelo menos uma vez ao ano se faça os exames preventivos para detectar qualquer anormalidade precocemente. Nos estágios mais avançados, as chances de cura são cada vez menores. Então, quanto antes a doença for diagnosticada, maior a chance de cura.


  • 0

Todo dia é uma nova oportunidade de mudar hábitos

Category : Informativo

O exame de toque retal é simples e rápido, com duração de 5 a 10 segundos. “Muitas vezes, o paciente acaba falando: ‘Era só isso?’. E perde o medo inicial.”

Além do tabu em relação ao exame, outro aspecto relevante é o fato de que a maioria de casos é assintomática. “É diferente de outros tipos de câncer, em que aparece algo no seu corpo, algo que provoca medo e te faz ir ao médico. Em larga maioria, só há sintoma quando já está muito avançado. Cabe ao médico procurar antes que chegue a esse ponto”.

Sintomas e prevenção

O tipo mais comum de câncer de próstata é o adenocarcinoma. Na fase inicial da doença, são comumente identificados sangue na urina, dificuldade em urinar, diminuição do jato de urina e aumento da frequência ao banheiro.

Para investigar o câncer de próstata são feitos dois exames: o de toque retal, que avalia o tamanho, a forma e a textura da próstata, e o Antígeno Prostático Específico (PSD). Para confirmar uma suspeita sinalizada pelos dois testes, é feita uma biópsia, que consiste em analisar pequenos pedaços da glândula. A função da próstata é a produção de um líquido que compõe parte do sêmen, que nutre e protege os espermatozóides.

Homens cujo pai ou irmão tiveram câncer de próstata antes dos 60 anos têm maior chance de também desenvolvê-lo. Outros fatores de risco são sobrepeso e tabagismo. Praticar atividades físicas e manter uma alimentação saudável são formas de prevenir a doença.

Quando se manifesta da forma menos agressiva dos três níveis existentes, o paciente deve frequentar o médico a cada três meses e seguir uma rotina de exames laboratoriais, protocolo estabelecido por especialistas há cerca de dez anos.


  • 0

Tudo sobre a vigilância ativa no câncer de próstata

Category : Informativo

Tratamento consiste no monitoramento periódico da doença

A vigilância ativa é um tipo de tratamento seguro para o câncer de próstata que se popularizou nos últimos anos. Caracterizada pelo acompanhamento periódico do tumor, sem que se faça uma cirurgia para sua retirada ou radioterapia, mas mantendo a possibilidade de um tratamento curativo quando for preciso, a vigilância ativa é indicada para tumores pequenos e de baixo risco (pouco agressivos).

– O que é vigilância ativa?

A vigilância ativa consiste no monitoramento do câncer de baixo risco e pouco volume por meio de exames e consultas periódicas, normalmente a cada seis meses. Essa classificação é baseada no toque retal, PSA, métodos de imagem como a ressonância multiparamétrica e principalmente na biópsia da próstata.

Um tratamento definitivo, como a prostatectomia radical (retirada da próstata) ou radioterapia (método capaz de destruir células tumorais com radiação ionizantes), somente será indicado caso haja progressão da doença em pacientes com expectativa de vida maior que dez anos. Esse tratamento depende muito da aderência/comprometimento do paciente.

– Desde quando a vigilância ativa começou a ser adotada como tratamento para o câncer de próstata?

Os estudos iniciais começaram há cerca de 15 anos com o Prof. Laurence Klotz, do Canadá, e foi mais popularizada nos últimos anos.

– Há algum risco de se adiar o início do tratamento do câncer porque se optou inicialmente pela vigilância ativa?

Desde que o paciente faça os exames periodicamente, conforme seu urologista determina, nos tumores de baixo risco, a possibilidade é pequena.

– Homens jovens podem fazer esse tratamento?

Estudos recentes mostraram os mesmos resultados oncológicos de sobrevida, independentemente da idade do paciente. Portanto, a idade não é fator importante na vigilância ativa, somente os critérios de baixo risco.

– Quais os benefícios de se ficar em vigilância ativa?

Os benefícios são evitar os efeitos adversos derivados de um tratamento radical, como incontinência urinária e disfunção erétil, que são raros, mas podem acontecer com a prostatectomia radical ou radioterapia.

– Há algum estudo que apresente a porcentagem de sobrevida de quem opta por esse tratamento?

Os estudos mostram que naqueles pacientes que não tiveram progressão da doença, isto é, em torno de 70% dos pacientes que ficaram em vigilância ativa em 15 anos, a taxa de mortalidade por câncer de próstata foi menor que 5%.

– No Brasil e no mundo, qual o número estimado de pacientes em vigilância ativa?

Não se tem a porcentagem de pacientes brasileiros que estão em vigilância ativa. Nos EUA estima-se que estão no protocolo em torno de 40% dos pacientes com doença de baixo risco.

Fonte:  Portal da Urologia 


  • 0

Mitos e verdades sobre o câncer de próstata

Tags :

Category : Informativo

Um homem morre a cada 38 minutos pela doença

No Brasil, um homem morre a cada 38 minutos devido ao câncer de próstata, segundo os dados mais recentes do Instituto Nacional do Câncer (13.772 casos/ano) doença representa 28,6% dos casos de câncer no homem, excetuando-se os tumores de pele não melanoma. Não é possível preveni-la, mas o diagnóstico precoce está relacionado com a diminuição da mortalidade. Para esclarecer as inúmeras dúvidas que cercam o tema, a Sociedade Brasileira de Urologia elencou alguns mitos e verdades. Confira:

O câncer de próstata é uma doença do idoso.

MITO. Apesar de o risco para a doença aumentar significativamente após os 50 anos, cerca de 40% dos casos são diagnosticados em homens abaixo desta idade. Entretanto, a doença é rara antes dos 40 anos.

PSA aumentado é sinal de que tenho câncer de próstata.

MITO. O antígeno prostático pode apresentar alterações em várias situações que não o câncer, como a hiperplasia benigna da próstata, prostatite (uma inflamação) e trauma. Por isso é importante a avaliação médica e o toque retal.

PSA baixo é sinal de que não tenho câncer de próstata.

MITO. Estima-se que o câncer de próstata está presente em 15% dos homens com níveis normais de PSA, daí a importância do toque retal.

Ter pai, irmão ou tio com a doença aumenta meu risco.

VERDADE. A hereditariedade é um dos principais fatores de risco para a doença. Um parente de primeiro grau com a doença duplica sua chance. Dois familiares com a doença aumentam essa chance em cinco vezes. Para quem tem casos na família, o recomendado pela Sociedade Brasileira de Urologia é procurar um urologista a partir dos 45 anos.

Todos os casos de câncer de próstata precisam de tratamento.

MITO. A indicação da melhor forma de tratamento vai depender de vários aspectos, como estado de saúde atual, estadiamento da doença e expectativa de vida. Em casos de tumores de baixa agressividade há a opção da vigilância ativa, na qual periodicamente se faz um monitoramento da evolução da doença intervindo se houver progressão da mesma.

O câncer de próstata sempre apresenta sintomas. Então posso esperar os sintomas para procurar o médico.

MITO. Em estágio inicial, quando as chances de curam beiram 90%, a doença não apresenta qualquer sintoma. Geralmente, os principais sintomas relacionados à próstata são devido a hiperplasia prostática, crescimento benigno da glândula, como jato urinário mais fraco, sensação de urgência miccional ou de esvaziamento incompleto da bexiga, entre outros.

Pessoas da raça negra têm maior risco de desenvolver a doença.

VERDADE. Estudos apontam que afrodescendentes têm risco 60% maior de desenvolver a doença e a taxa de mortalidade é três vezes mais alta.

A reposição hormonal em casos de Deficiência Androgênica do Envelhecimento Masculino (DAEM) afeta o câncer de próstata. 

MITO. Estudos têm apontado que a terapia de reposição hormonal com testosterona não representa risco de desenvolvimento de câncer de próstata nos homens que recebem o hormônio. Nos homens que tenham sido tratados com sucesso de câncer de próstata a reposição hormonal poderá ser instituída após uma análise criteriosa dos riscos e benefícios. Homens portadores de câncer de próstata e que ainda não tenham sido tratados da doença não deverão receber terapia de reposição hormonal. Como regra, nunca se deve fazer uso de reposição de testosterona sem consultar seu médico.

O sedentarismo pode aumentar o risco para desenvolvimento do câncer de próstata.

VERDADE. O sedentarismo e a obesidade estão relacionados a alterações metabólicas que podem levar a alterações moleculares responsáveis pela gênese da neoplasia.

A atividade física regular tem um papel relevante na prevenção e no tratamento.

VERDADE. Essa prática saudável pode agir de modo protetor, e tem sido um fator modificável para o câncer de próstata por causa dos seus potenciais efeitos:

  • Fortalecimento imunológico
  • Prevenção da obesidade
  • Capacidade do exercício em modular os níveis hormonais
  • Redução do estresse

Fonte: Portal da Urologia


  • 0

Não deixe para depois: a hora de fazer seus exames pode ser agora

Tags :

Category : Informativo

A luta contra o câncer é uma causa da humanidade. O diagnóstico precoce aumenta muito as chances de sucesso no tratamento.

Mulheres cada vez mais protagonizam um novo jeito de ser. Trabalham, batalham, opinam, criam, e ainda cuidam da casa, da família, atentas a tanta gente, com muito afeto. Isso é ótimo. Mas só você sabe o quanto essa rotina feminina de fazer-tudo-ao-mesmo-tempo exige da sua saúde. Cuide-se. Inclua alimentos mais saudáveis nas refeições, faça alguma atividade física e não deixe de fazer os exames médicos. Com o passar dos anos, aumentam os fatores de risco do câncer. A boa notícia é que, quando detectado no início, são grandes as chances de sucesso no tratamento.

Mamografia

58 mil novos casos de câncer de mama foram previstos no Brasil para 2017 
As chances de sucesso no tratamento superam 90% quando o câncer é diagnosticado precocemente.

É o principal método para o diagnóstico de câncer de mama. É um exame rápido e sem riscos para a paciente e permite detectar o tumor em fase inicial, mesmo quando ainda não é perceptível por meio de exame clínico das mamas feito pelo médico no consultório. Não precisa ter medo: Mesmo que seja detectado algum nódulo, não significa que a mulher tem câncer. A maior parte é benigna. Mas é essencial checar.

Colposcopia

Colo de útero: A incidência é de 17 casos a cada 100 mil mulheres. É o terceiro tipo de câncer mais comum entre as brasileiras.

Esse exame permite examinar o colo do útero por meio de um aparelho chamado colposcópio, uma espécie de par de binóculos. Ele produz uma imagem ampliada entre 10 a 40 vezes, assim o médico consegue identificar lesões imperceptíveis a olho nu. Se alguma lesão parecer suspeita, o médico pede também uma biópsia. O tumor na fase inicial não apresenta sintomas, por isso é fundamental fazer os exames preventivos. No Brasil são de mais de 30 mil casos de câncer colorretal por ano. É o segundo tipo de tumor mais comum em mulheres.

Ele é essencial, embora muita gente adie o exame de colonoscopia porque exige uma preparação de véspera e as pessoas se assustam com a ideia de um exame endoscópico, invasivo, em que uma microcâmera é injetada no corpo. Na verdade ele é bem mais simples do que parece. O paciente é sedado, não sente desconforto, só é indispensável a presença de um acompanhante. O exame consegue detectar pólipos e carcinomas, o que é muito importante, porque esse tipo de câncer não apresenta sintomas na fase inicial.

Fundamental é mesmo a autoestima. Ajuda no bem estar, na qualidade de vida, você se sente mais bonita e até mais forte para seguir o seu tratamento.